Seguidores

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

DISCURSO DE POSSE DE AIRTON SOUZA NA ALSSP



ALSSP – Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense

Posse de Airton Souza – Cadeira nº 15   Patrono: Max Martins

 

                                               Marabá, 30 de junho de 2012

 

Boa tarde a todos,

 

Primeiramente, gostaria de agradecer a Deus pelas oportunidades, aos meus pais Maria Barbosa e Raimundo Gonçalves, minha esposa Leonice Souza, meus filhos e especialmente aos meus amigos e amigas pela credibilidade e confiança e que aqui se fazem presente.

 

Gostaria de saudar a mesa em nome da Presidenta Vânia Ribeiro de Andrade, deixando assim um abraço de felicidade a todos os membros da mesma.

 

É com imenso orgulho, que nesse fim de tarde de 30 de junho de 2012, aceito a tomar posse na ALSSP – Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense. E de certa forma não poderia deixar de agradecer especialmente aos confrades João Brasil Monteiro, Presidente de honra desta instituição e Eduardo Castro pelos esforços em tornar esse momento uma realidade. O sentimento desse momento é a conscientização quanto ao meu papel a ser desenvolvido nesta instituição. Chego com o objetivo de multiplicar forças, pois, foram mais de 1 ano e 5 meses de espera.

 

Não poderia jamais deixar aqui de agradecer também alguns amigos que fizeram-me acreditar em meu trabalho literário, que de certa forma são muitos, e peço desculpas aos que aqui se fazem ausentes nesta lista. Mas foi exatamente em outubro de 2000, que vi pela primeira vez um poema de minha autoria sendo publicado no jornal Opinião com a ajuda do Jornalista Laércio Ribeiro, então Redator Chefe daquele. Mais tarde contaria ainda com a compreensão de mais três Jornalistas amigos: Ederson Oliveira, Ulisses Pompeu, ambos do Jornal Correio do Tocantins e do querido amigo Célio Sabino, do Jornal Opinião.

Amigos como Denys, gerente regional das lojas Liliane que com a sensibilidade colaborou até o oportuno momento, fazem parte dessa pequena história de minha carreira, como pretenso escritor.

 

Tenho aqui ainda forte admiração e carinho aos Professores, alunos e ex-alunos da Escola Irmã Theodora. Em nome de Maria Solange Moreira, Maria de Jesus, Edinalva Coelho, Eriosvaldo Vilas Boas, Karina Moraes, Darques Silva e outros queridos amigos (as), sintam-se todos abraçados e divido com vocês esse momento histórico e feliz de minha vida.

 

Nasci em 23 de março de 1982, nesta cidade a que ainda não aprendi poetizar. E acredito que a vida que tive fez com que eu tornasse-me um dia poeta.

 

Hoje, exerço a profissão de Professor, uma escolha que fiz para a minha vida, pelo simples motivo de fazer o que gosto, com o compromisso de fazer do mundo dias melhores e por acreditar que o professor pode colaborar muito com esse fato.

 

Passar a pertencer a uma instituição igual à ALSSP, só tem a engrandecer um trabalho de um literato aprendiz. Pois, não é fácil ter que conviver com alguns escritores que cresci lendo e tendo eles como ídolos. Os esforços de minha parte serão para multiplicar forças a fim de fortalecer a produção e divulgação literária da região Sul e Sudeste Paraense, assim como rege o Estatuto Interno desta instituição.
 

Como patrono para a cadeira nº 15, que passo agora a ocupar como membro efetivo e perpétua, na Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense, com os sentimentos de orgulho e humildade escolhi o escritor e poeta paraense Max Martins, que nasceu no dia 20 de junho de 1926, na cidade de Santa Maria de Belém do Pará, vindo a falecer no dia 09 fevereiro de 2009, aos 82 anos. Max Martins iniciado na literatura pelo renomado escritor paraense Haroldo Maranhão teve uma vida inteira dedicado a poesia. Max Martins publicou em vida diversos livros de poesias e teve seus livros traduzidos para o Alemão, Inglês e Francês, figurando hoje entre os maiores escritores paraenses, e porque não brasileiros.

Em um momento igual a esse, teria muito a dizer. Mas, sei que palavras quaisquer não teriam condições de expressar o que estou sentido nesse instante tão feliz e real de minha vida.
 
Então para celebra, gostaria muito aqui de recitar um poema do patrono da cadeira nº 15, o escritor Max Martins.
 
Como mensagem final, gostaria muito que todos aqui presente acreditassem sempre na POÉTICA DA VIDA. Grato meus queridos e sintam-se abraçados com estima de felicidades sempre.

 

2 comentários:

  1. obrigado meu querido e admiravel amigo Aurismar Lopes. abraços de felicidades sempre.

    ResponderExcluir